Novos horizontes para os administradores

15/04/2010 11:54

Abre-se um amplo mercado de trabalho para os Administradores que se prepararem para atuar como árbitros, nas questões que envolvam a solução dos litígios entre contratantes e contratados.

A Lei de arbitragem facultou ao Administrador o exercício das atividades de Conciliador, Mediador ou Árbitro para solucionar os conflitos de interesses patrimoniais para as empresas. Na verdade, as atribuições regulamentares do Administrador já estabelecem a
Conciliação e a Mediação como instrumental obrigatório, restando à prolação de sentenças como diferencial que demandará o aprendizado das técnicas formais que
disciplinam o desempenho do juizado arbitral.

Embora a arbitragem exista no Brasil, desde de 1850 , somente a partir da Lei 9370/96 é que as decisões dos árbitros constituídos pela vontade das partes, tornaramse
sentenças irrecorríveis, com valor de título executivo, referendadas pelo
entendimento do Supremo Tribunal Federal. Este fato trouxe para o empresariado brasileiro consideráveis vantagens, na medida em que passaram a solucionar, rapidamente, os litígios ocorridos nas relações de direito material entre os contratantes,
além de resultar em baixo custo final.

Assim, para o Administrador abre-se um novo e promissor mercado de trabalho, na medida em que este se prepare para ofertar serviços profissionais qualificados para o
empresariado, autonomamente ou vinculado a Tribunal institucionalizado,
nos mais variados campos de atividade.

Cabe lembrar que, nas relações do comércio internacional, a arbitragem é aplicada, prioritariamente, por todos os países, mediante convênio celebrado no ano de 2002,em Nova York, o que vem ampliar significativamente o âmbito de atuação do Administrador nas relações de interesse das empresas nos ramos comerciais.

Outro fato, de significativo interesse profissional, decorre da habitual exclusão do Administrador nas indicações dos Juízes trabalhistas para atuar como Peritos nos processos que envolvam considerações de natureza exclusivamente vinculadas às
atribuições regulamentadas do Administrador. Costumeiramente são nomeados Contadores para apuração de litígios de Administração, especialmente nas atividades de
Recursos Humanos. Tais perdas de oportunidade de trabalho não deverão
ocorrer, na medida em que passemos a estabelecer maior proximidade com
o nosso Sindicato, em todas as questões que envolvam a presença do Administrador.
Cabe, finalmente, alertar aos companheiros que os cursos de “arbitragem” ofertados por entidades não credenciadas geralmente não atendem às exigências requeridas
para o pleno desempenho profissional dos Administradores.

*Rodney Alves de Souza é formado em administração, professor Universitário, Consultor Profissional de Administração, Advogado, e Mestre em Administração Aeroportuária pela International Civilian Aviation Administration - Canadá email:rodneyconsult@hotmail.com

Fonte: https://www.administradores.org.br

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!